Topo
Constança Rezende

Constança Rezende

Randolfe antecipa derrota sobre Aras: “Não esperava ser vencido tão fácil"

Constança Rezende

13/09/2019 08h38

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) no plenário do Senado – Pedro Ladeira/Folhapress

O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), já prevê a sua derrota contra a aprovação do nome indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a (PGR) Procuradoria-Geral da República, o subprocurador Augusto Aras.

Resignado em seu gabinete, na noite desta quinta-feira (12), ele disse ter ficado "surpreso" com a falta de empenho de senadores da oposição e de integrantes do Ministério Público na luta contra a indicação.

Para Randolfe, a classe se "acomodou" com Aras e afirmou que esperava uma reação maior ao menos por parte da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República).

"Esperava uma rebelião dos procuradores, uma renúncia geral a cargos. Achava que eles estariam aqui, desde segunda-feira, indo de gabinete em gabinete, igual ao que Aras está fazendo. A ANPR fez algumas manifestações, mas o palco deveria ser aqui", disse.

Por conta disso, Ranfolfe disse à reportagem que já admite a possibilidade de receber Aras para uma visita de cortesia, em seu gabinete. Ele havia recusado ao menos três convites anteriores para encontros.

"O único senador ainda resistente a recebê-lo era eu. Se todos estão recebendo, também quero saber quais garantias de atuação que ele está dando. Mesmo assim, estou convencido de que votarei contrário à indicação", afirmou

Randolfe foi um dos senadores mais críticos à indicação de um PGR fora da lista tríplice votada pela categoria. Ele chegou a chamar Aras de "procurador biônico" e defendeu a lista como um importante instrumento para a garantia de independência da instituição.

"Os integrantes do Ministério Público não estão conscientes de que estão diante da maior derrota da história da instituição. Eles não serão mais livres. Estão sepultando a lista tríplice. Por que um presidente agora vai querer indicar alguém dentro da lista tríplice, se os próprios procuradores não lutaram por ela? O Ministério Público sairá muito enfraquecido dessa", disse.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Sobre a Autora

É colunista do UOL, em Brasília. Passou pelas redações do Estadão, Jornal O Dia e Jornal do Commercio.

Sobre o Blog

Notícias sobre o que acontece de mais quente em Brasília, bastidores e entrevistas.